Liturgia – 25-05-2021

LEITURA DO DIA

Leitura do Livro do Eclesiástico (Eclo 35,1-15)

Aquele que guarda a lei faz muitas oferendas; aquele que cumpre os preceitos oferece um sacrifício salutar. Aquele que mostra agradecimento, oferece flor de farinha, e o que pratica a beneficência oferece um sacrifício de louvor.

O que agrada ao Senhor é afastar-se do mal, e o que o aplaca é deixar a injustiça. Não te apresentes na presença de Deus de mãos vazias, porque tudo isso se faz em virtude do preceito. O sacrifício do justo enriquece o altar, o seu perfume sobe ao Altíssimo. A oblação do justo é aceitável, e sua memória não cairá no esquecimento.

Honra ao Senhor com coração generoso e não regateies as primícias que apresentares. Faze todas as tuas oferendas com semblante sereno, e com alegria consagra o teu dízimo. Dá a Deus segundo a doação que ele te fez, e com generosidade, conforme as tuas posses; porque ele é um Deus retribuidor, e te recompensará sete vezes mais. Não tentes corrompê-lo com presentes: ele não os aceita; 15nem confies em sacrifício injusto, porque o Senhor é um juiz que não faz discriminação de pessoas.


EVANGELHO DO DIA

PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos (Mc 10,28-31)

Naquele tempo, começou Pedro a dizer a Jesus: “Eis que nós deixamos tudo e te seguimos”. Respondeu Jesus: “Em verdade vos digo, quem tiver deixado casa, irmãos, irmãs, mãe, pai, filhos, campos, por causa de mim e do Evangelho, receberá cem vezes mais agora, durante esta vida — casa, irmãos, irmãs, mães, filhos e campos, com perseguições — e, no mundo futuro, a vida eterna. Muitos que agora são os primeiros serão os últimos. E muitos que agora são os últimos serão os primeiros”.


PALAVRA DO SANTO PADRE

Seguir Jesus de um ponto de vista humano não é um bom negócio: é servir. Ele o fez, e se o Senhor lhe dá a possibilidade de ser o primeiro, você deve se comportar como o último, que está em serviço. E se o Senhor lhe dá a possibilidade de ter bens, você deve se comportar em serviço, isto é, para os outros. Há três coisas, três passos que nos distanciam de Jesus: as riquezas, a vaidade e o orgulho. É por isso que as riquezas são tão perigosas, porque o levam imediatamente à vaidade e você se acha importante. E quando você pensa que é importante, você perde a cabeça e se perde. (Homilia Santa Marta 26 de maio de 2015)